terça-feira, agosto 19, 2014

Cat Capzise 2014 - Nunca cansamos de mostrar

Tudo estava indo bem, o vento não era tão
forte para que alguma coisa acontecesse.
Esses "Skiffs" são barcos que dependem
completamente do peso de seus tripulantes
para se manter em "pé", eles são muito ariscos,
sempre andando rápido, pois além de não ter o
peso da quilha, não tem o arrasto, mas nesse
dia parece que alguma coisa estava fora da ordem,


Hoverboard - A Vida Real dos Superheróis

Eu fico na dúvida o quê isso efetivamente é,
um skate que anda nas águas, flutuando, uma
prancha de surf com muita força para voar,
um esqui com propulsão a jato?
Quando a Flyboard deu o pontapé inicial
nesse projeto nem ela sabia ao certo no que
ia dar, mas dá para perceber nitidamente que
a emoção e adrenalina beira a insensatez.
Esses Gadgets custam caro e principalmente
não são para pessoas normais e sim superatletas.
Eu gostei...


O quê você tem na sua mente?

Quando você percebe que as coisas podiam 
ser melhores do que já eram e vê na realidade
que nunca foram tão boas quanto são.
Simplesmente um tapa na cara dos que vivem
para mostrar...vídeo ostentação..rs
Sensacional!
Tá bom, tá bom, tá bom...eu sei que não tem 
nada a ver com o site...tá bom...tá bom...
mas é legal?

VPVN - Náufrágio em águas Australianas

Atenção Sempre!!

VPVN - O vento é igual para todos

Por ocasião do Grande Prémio Guyader, Sébastien
Rogues, capitão do monocasco GDF SUEZ
CLASS40 e Alexander Caizergues, kitesurfista
extremo e o primeiro homem no mundo 
a atingir 100 km / h na água, tiveram a oportunidade 
compartilhar a paixão pelo vento, motriz de suas
profissões. Ambos os atletas da GDF SUEZ
tiveram essa chance de juntar suas experiências 
em dois tipos de barcos distintos para 
aprender um com o outro.
Louco!!


VPVN - Barcos - Moody DS 54 - Lancha com Mastro

O lançamento da Moody Boats vem mostrar que
dois mundos que sempre viveram distantes um 
do outro, agora se fundem, se misturam e se completam.
Um mundo é dos velejadores, seres que sempre
se mostraram corajosos, aguerridos mas que nunca
abrem mão de um pouco de conforto, do outro lado
Proprietários de Lancha, que ligam na Sexta Feira na
 marina pra saber quantos metros
 tem de onda, gostam de barulho, ganham habilitação na
compra de uma lancha e não vivem sem um bom 
conforto, enfim, mundos distantes se completando.
Nada contra os "lancheiros" que como nós velejadores
buscam o mar, buscam a natureza, só que não estão
afim de encarar um monte de cabos, velas e toda
a aporrinhação que é um veleiro para quem não gosta.
Nunca uma lancha vai ser um veleiro, mas se pensarmos
que um veleiro possa ser uma lancha, aqui está!
São 54 pés de puro conforto, praticidade e além de 
tudo isso, com mastro, vejam e tirem suas conclusões.
Espero que gostem.

Atualização - Esse barco está entre os favoritos para ser
o barco do ano pela revista alemã Yacht.



Especificações:




segunda-feira, agosto 18, 2014

VOR - Abu Dhabi vence Round Britain and Ireland Race e mostra desempenho do Volvo Ocean 65

Além da vitória, o barco de Ian Walker quebrou o recorde da regata britânica entre os monocascos
 
O Abu Dhabi comemora sua primeira vitória a bordo do Volvo Ocean 65, barco que será usado pelas sete equipes da Volvo Ocean Race 2014-15. O time de Ian Walker cruzou em primeiro lugar a Round Britain and Ireland Race com direito à melhor marca da prova. O Azzam completou o percurso de 1.800 quilômetros em quatro dias e 13 horas e 10 minutos. O recorde anterior era do Groupama, que fez quase um dia e meio a mais do que os árabes.
 
O resultado mostrou que o modelo Volvo Ocean 65 é rápido, mesmo sendo menor do que a versão da temporada anterior. "O desempenho não poderia ser melhor. Estou muito contente por cada tripulante, pois tiveram muito trabalho", disse Ian Walker ao site www.volvooceanrace.com. 
 
Sobre o recorde, Ian Walker emendou: "É muito emocionante quebrar a marca. Devemos comemorar, pois os outros quatro barcos também tiveram desempenho acima da média, mostrando que o veleiro é seguro mesmo com o mau tempo".
 
Apesar da vitória, dois velejadores do Abu Dhabi Ocean Racing se machucaram durante a volta às ilhas britânicas: Phil Harmer tem uma suspeita de fratura na mão e Justin Slattery saiu do barco com uma lesão na costela. A equipe também informou que um vazamento hidráulico foi apontado durante a regata, mas a tripulação solucionou o problema. 
 
O Abu Dhabi foi perseguido por todo o caminho pelo espanhol de Iker Martínez, que chegou em segundo lugar. "O Abu Dhabi bateu recorde e podemos ver que podemos chegar perto. Nós tivemos alguns problemas e pouco tempo pra testar o barco", disse Iker Martínez.
 
Na sequência apareceram Dongfeng, Team Alvimedica e Team SCA. 
 
Dos sete times da Volvo Ocean Race 2014-15, apenas Team Brunel, que decidiu se poupar, e o Team Vestas, recém anunciado, não participaram da regata britânica.
 




 

sábado, agosto 16, 2014

Sábado nada a ver!

Lá vem você de novo reclamando que o 
ventoesom não é mais o mesmo, fica colocando
esses vídeos que não tem nada ver com 
regata, vela , por quê os administradores dessa bagaça
não estão atrás de coisas mais importantes que isso?
Isso é uma vergonha!!
Vergonha também é o cara fazer isso...
Vergonha nossa que não conseguimos fazer...
Pense num cabra corajoso, pense...


sexta-feira, agosto 15, 2014

Som da Sexta - Joe Satriani Sensacional

A Origem do Rock é tão conhecida que 
as vezes não sabemos ao certo tudo que
ele fez pela música, sem ele com certeza
Joe Satriani não tinha existido, 
um guitarrista tão clássico e tão pesado
tem que ser filho de um gênero que é, ainda
hoje indefinido. A história de Joe é tão longa
e diversificada que eu precisaria de 20 dedos
para escrever, os mesmos que ele tem para
tocar guitarra. Eu tive a oportunidade de ve-lo
ao vivo no ano passado e digo, é imperdível e
impensável o que o moço faz...
Ele nasceu nesse mesmo dia a 58 anos
atrás, que ele viva mais 58 mil anos, para que
quem goste de música saiba quem ele é!


RS800 - Pequeno e complicado

Esses novos monotipos olímpicos ou não
estão sendo feitos com tecnologia de avião
e esperam atingir, se não as mesmas velocidades,
pelo menos os acidentes..rs
Sinceridade, veja!
Nada a ver com o fatídico acidente
do neto do Arraes...


Canal do Panamá - 100 anos de ódio e amor

Você sinceramente não achou que eu iria contar a 
história do Canal do Panamá? Achou? Desculpas..
Talvez o mais perto que eu possa chegar desse
estupendo canal, em todos os sentidos, seria
mostrar as imagens ao vivo, agora, nesse 
momento..passou...
Todo velejador tem vontade de cruzar o 
Cabo Horn e também o Canal do Panamá
está no pensamento íntimo dos velejadores,
eu nunca tive oportunidade de fazer nenhum
dos dois, mas logo conseguiremos, mas
quem fez esse caminho, com classe a bordo
de um 70 pés, foi o pessoal da Clipper Race,
e olha que na frente tinha um petroleiro com um
nome bem conhecido. Pronto falei e mostrei!


quinta-feira, agosto 14, 2014

Round Britain and Ireland - Recorde quebrado

ganhador, quem ganhou a fita azul do primeiro
a chegar foi o MOD 70  Oman Sail, que antes mesmo
Eles ganharam e conseguiram bater o recorde do Super
Trimarã Banque Populaire em 16 minutos e18 segundos,
entendam que o BP tem 130 pés e eles 70, então
imaginem o vento que soprou em todo o percurso.
Essa regata só teve o nosso acompanhamento
por causa da oportunidade única de termos na mesma
raia 5 VOR 65 (Azzam, Team Spain, Alvimédia, SCA e
Donfeng), você praticamente a 2 meses do inicio da
VOR colocar 5 concorrentes para mostrar a que vieram,
faz toda a diferença, eu sei que essa competição não
é o espelho da realidade, pois algumas equipes estão
se aperfeiçoando, mas ao mesmo tempo mostra uma
realidade crua, quem está em primeiro é o Team Azzam
com o Ian Walker no comando, ou seja, um super veterano
de VOR e em segundo o Team Spain com Iker Martinez, outro
que fez a última edição, com isso nós provamos 2 coisas
a experiência é imbatível e uma outra , velejar é para
homens, pois o time que em primeiro lugar pegou o barco,
Team SCA que é formado somente por mulheres, está
em último, uma tristeza, seria legal que elas estivessem
no mesmo nível, mas infelizmente não.
O que temos de vídeos para hoje é um conjunto de 
ótimas imagens e a emoção de fazer uma regata
na pauleira. Espero que gostem, nós adoramos.
Rastreador aqui.
Um detalhe que reparamos é que os barcos
estão cada vez mais velejando fora da água...
Observem!


Ual!!


Made in China


I am Sailor

Icebreaker Russian - Como um monstro pode ser bonito

Quando convidaram Sergey Doyla
para acompanhar um dos maiores quebradores
de gelo do mundo a atravessar o Polo Norte ele
achou que seria o momento certo para fotografar
uma máquina dessas em plena atividade. 
Sergey contou com equipamentos novos
que conseguem melhorar muito a qualidade das
fotos que são tiradas a noite e o resultado é esse
aí embaixo, espero que tenha valido a pena ver!



quarta-feira, agosto 13, 2014

Sai da Frente que atrás vem gente...

Eu sempre quis colocar esse título e nunca havia
encontrado um vídeo, foto ou texto que simbolizasse 
tão bem essas linhas sujas e molhadas, mas encontrei.
Um é Beneteau 50 o outro um Cal 40, estão na mesma
regata e ambos estão de balão rumo ao destino.
Quando você faz uma regata de barla-sota, aonde você
não tem muito que desviar em um rumo a boia, ou mesmo
chegando na juria, tudo bem acontecer isso, mas em
uma regata de percurso, com centenas de milhas para
todos os lados, eu sei o nome disso e é
SACANAGEM!!!!!!!


Kayak a 45 milhas por hora...hum

Quando Ben Marr e Rush Sturger resolveram descer
o canal de um Rio em Vancouver, British Columbia
não esperavam conseguir essas imagens e atingir
essa velocidade, tudo parecia mais uma farra, uma
brincadeira. Kayak nunca será uma máquina que 
atinge 45 milhas facilmente, é mas para eles nada
foi fácil! Espero que gostem...Louuuuuuco!!! 


terça-feira, agosto 12, 2014

Extreme Sail - Não importa o tamanho e sim o vento

Em uma regata a posição que ninguém quer
estar é um último lugar, essa posição é incômoda
até quando sabemos que a nossa equipe não é boa
e o barco uma bosta, mas as vezes quem vem atrás
tem a oportunidade de escapar de um local que está
sem vento, consegue procurar uma melhor rota
sem correnteza, agora se isso tudo não trouxer
nenhuma vantagem, você pode flagrar alguma
imagem bem desagradável...
Espero que gos...esquece!
Outra coisa que você, caro amigo e cara amiga
pode notar, é que o "rapidinho" aí é um 27 pés...vixe!

Marinha Americana e suas invenções

Que a Marinha dos Estados Unidos é uma das maiores
de todo mundo, isso ninguém pode falar ao contrário, mas 
eu não sabia que eles tem um centro somente para inventar
e aperfeiçoar novos equipamento e nesse centro um cinegrafista
amador teve oportunidade de flagrar o último invento deles.
O Barco/Navio/Carro vem ao encontro das necessidades de
desembarque rápido em praias e superfícies com terrenos
acidentados, ele não é rápido, é estranho e parece mais
um tanque anfíbio do que qualquer coisa marítima.
Então você pode perguntar, porquê está nessas páginas?
Eu respondo. Porquê é bem louco!!rs
"Bota escrusivo mia fia, bota, que dá trabaio fazer"





Contra o vento


Vestas Wind Systems é a sétima equipe da Volvo Ocean Race 2014-15

Vestas, empresa líder em energia eólica no mundo, foi anunciada hoje como a última equipe para a Volta ao Mundo. O australiano Chris Nicholson será o comandante.

Seis vezes campeão mundial e com quatro participações na Volvo Ocean Race, o velejador australiano Chris Nicholson terá o desafio de liderar o Vestas Wind Systems na Volta ao Mundo. A equipe dinamarquesa foi a sétima e última a entrar na regata, que começa em 4 de outubro. 
"É uma honra ser o comandante da equipe Vestas Wind. A empresa tem capacidade e conhecimento de aproveitar o poder do vento", disse Chris Nicholson, que por duas vezes representou a Austrália nos Jogos Olímpicos.
O CEO da Volvo Ocean Race, Knut Frostad, aprovou a entrada do primeiro barco dinamarquês na história da regata. "A Vestas é uma empresa global focada em energia eólica, tornando o mundo um lugar mais limpo para as gerações futuras".
A equipe terá também dois dinamarqueses: Nicolai Sehested e Peter Wibroe. "No geral, estou muito contente em ter sete equipes na linha de largada. Todos a bordo do novo Volvo Ocean 65, um conceito de barco introduzido há dois anos", disse Knut Frostad.
A Vestas construiu forte reputação em tecnologia eólica, além de fornecer produtos e serviços no segmento. A fabricação de turbinas eólicas começou em 1979 e hoje, a empresa é líder de mercado na área.
"O vento é o nosso negócio e nossa paixão. A Volvo Ocean Race é a plataforma perfeita para relacionamento com os nossos clientes. Além disso, teremos a chance de mostrar a nossa tecnologia e fortalecer a nossa marca em alguns dos nossos mercados mais importantes. Faz parte da nova estratégia corporativa", disse Anders Runevad, presidente do grupo e CEO da Vestas Wind Systems.
O time Vestas Wind System disputará o título contra Team SCA, Abu Dhabi Ocean Racing, Dongfeng Race Team, Team Brunel, Team Alvimedica e um time espanhol – que ainda não definiu o nome.
O barco irá enfrentar seu primeiro teste na água, em meados de agosto, quando a equipe se prepara para navegar a distância de qualificação de 2.000 milhas náuticas, um pré-requisito para ingressar na Volvo Ocean Race.
Sobre a Vestas
As turbinas eólicas da Vestas fornecem energia limpa diariamente para vários países, ajudando assim a luta global contra as alterações climáticas. A energia eólica Vestas tem mais de 51.000 turbinas, reduzindo as emissões de carbono em mais de 60 milhões de toneladas de CO2 por ano.
A Vestas fornece energia eólica em 73 países, proporcionando 16.000 postos de trabalho. É uma empresa formada por pessoas apaixonadas, desde dos locais de serviços e projetos, até instalações de pesquisa, fábricas e escritórios. A capacidade instalada da Vestas é de 60 GW, o que a torna líder mundial em energia eólica.

Acesse os canais da Vestas:







segunda-feira, agosto 11, 2014

Volvo Ocean Race - Round Britain


Barcos da Volvo Ocean Race largam para o desafio na Round Britain 


Começou a Round Britain and Ireland Race. Nesta segunda-feira (11), cinco barcos da Volvo Ocean Race partiram para o desafio no Canal da Mancha com equilíbrio na flotilha. O time espanhol de Iker Martínez e o Abu Dhabi tem pequena vantagem, mas os outros times estão na cola. A ordem da última atualização é a seguinte: Abu Dhabi, Team Campos, Dongfeng, Team Alvimedica e Team SCA. A regata deveria ter começado na véspera, mas um sistema de baixa pressão com ventos de até 50 nós impediu a largada.
A regata teve um início com várias trocas de posições. Os ventos estavam soprando bem fortes, mas com mais segurança aos competidores. No entanto, um pequeno acidente ocorreu com o francês Pascal Bidégorry, tripulante do Dongfeng, que machucou a mão após uma colisão com um companheiro de equipe durante uma manobra. Resultado: quatro pontos.
O experiente Will Oxley, do Team Alvimedica, falou sobre o início bastante rápido da Round Britain Ireland Race. "É uma grande pista de corrida, uma das melhores do mundo inclusive. Mantém o navegador muito ocupado". 
Quem está motivado com a regata é proeiro do Abu Dhabi, Daryl Wislang. Vice campeão na temporada passada com o Camper, o velejador quer aproveitar os treinos para se entrosar mais e ajudar os árabes a levar o ouro. "A verdadeira razão pela qual eu estou de volta é o sonho de ser campeão".
A regata Round Britain and Ireland Race deve durar cinco dias. O evento britânico marca o primeiro encontro dos novos modelos Volvo Ocean 65.
Clique aqui para saber por onde andam os barcos. Acesse também o site oficial da prova para saber mais detalhes. 


Clique para fotos em Alta resolução








Highlights da Largada

Humor - Ironia do destino

Muito Boa!