segunda-feira, setembro 15, 2014

Robert Scheidt - Medal Race

Scheidt se mantém na disputa pela medal race no Mundial de Santander


Maior atleta olímpico brasileiro foi desclassificado junto com outros nomes fortes da classe na única regata do dia e passou para o quarto lugar no geral, próximo do líder
São Paulo - O mau tempo voltou a ser vilão no Mundial de Vela de Santander, interrompendo as regatas deste domingo (14), primeiro dia da fase final. Apenas uma prova foi realizada na classe Laser, antes da chegada de uma tempestade. Após escapar na largada, Robert Scheidt foi desclassificado, mas segue firme na briga por uma vaga na medal race, em busca do seu 12º título mundial. O brasileiro está em quarto lugar, com 19 pontos perdidos, diferença de apenas oito em relação ao novo líder, o holandês Nicholas Heiner.

O domingo começou com clima agradável, em torno dos 25 graus, mas o vento rondado de até 10 nós (18 km/h) tornou a correnteza na raia espanhola mais forte e instável. Apenas a flotilha ouro da Laser, com Robert Scheidt, conseguiu correr uma regata antes da tempestade que se formou no final da tarde.

"Nas condições que estamos enfrentando, com ventos fracos, largar bem é fundamental para ficar entre os primeiros colocados de uma flotilha grande, com 49 barcos. Para largar bem você precisa correr alguns riscos. Hoje o vento estava jogando muito para fora da linha de partida, o que favorecia os erros, conforme aconteceu com vários velejadores. Eu exagerei, fui agressivo demais, e acabei desclassificado", esclareceu Scheidt. Ele e outros dez competidores, entre eles o croata Tonci Stipanovic, número 1 do mundo na Laser, estavam acima da linha de partida no momento da largada e receberam a pontuação equivalente ao número total de barcos mais um.

Mesmo com a penalidade recebida, o brasileiro, único campeão mundial da classe em Santander, com 11 títulos, segue com boas chances de pódio, já que a maioria dos primeiros colocados estão próximos uns dos outros na classificação geral. "É uma pena ter feito esse resultado, porque queimei o meu descarte e preciso ir bem de qualquer jeito nas próximas regatas. Mas também não posso ser muito conservador, pelo que aconteceu. Os riscos vão continuar existindo e tenho que fazer a minha regata, continuar velejando bem. Será bom o dia de descanso (previsto para esta segunda-feira) para eu colocar a cabeça no lugar e voltar com força total na terça (16)", completou o brasileiro, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela. Além de Scheidt, o Brasil é representado na Laser por Bruno Fontes, em quinto lugar, e Alex Veeren, o 64º colocado.

O Mundial de Santander reservou a segunda-feira (15) como descanso para os velejadores da Laser, mas, dependendo das condições do vento, o dia pode ser aproveitado para a realização de mais uma regata. A classe tem mais cinco provas previstas até quarta-feira, quando serão definidos os dez competidores que seguirão para a medal race, valendo pontos dobrados, na disputa do título e do pódio.

Classificação após cinco regatas e um descarte

1. Nicholas Heiner (NED) - 11 pp (3+[10]+1+4+3)
2. Charlie Buckingham (USA) - 18 pp (6+[23]+2+8+2)
3. Tom Burton (AUS) - 18 pp (5+3+[8]+2+8)
4. Robert Scheidt (BRA)- 19 pp ([13]+2+1+3)
5. Bruno Fontes (BRA) - 23 pp (4+7+9+3+[34])
6. Nick Thompson (GBR) - 25 pp (1+[18]+11+7+6)
7. Jesper Stalheim (SWE) - 26 pp (12+4+5+5+[30])
8 Lorenzo Chiavarini (GBR) - 27 pp (2+14+[29]+6+5)
9. Ryan Palk (AUS) - 28 pp (5+9+13+1+[27])
10. Giovanni Coccoluto (ITA) - 30 pp (1+9+[36]+13+7)
64. Alex Veeren (BRA) - 53 pp (28+11+[36]+14)

Campanha de Robert Scheidt na temporada 2014

Ouro na Copa Brasil - Niterói (BRA), janeiro
Prata na etapa de Miami Copa do Mundo de Vela - Miami (USA), fevereiro
9º na etapa de Palma de Mallorca da Copa do Mundo de Vela - Palma de Mallorca (ESP), abril
4º na etapa de Hyères da Copa do Mundo de Vela - Hyères (FRA), abril
Ouro na Semana Olímpica de Garda Trentino - Garda (ITA), maio
5º no Europeu de Vela - Split (CRO), junho
Ouro no Sudeste Brasileiro de Laser - Rio de Janeiro (BRA), julho
4º no Aquece Rio International Regatta - Rio de Janeiro (BRA), agosto

Maior atleta olímpico brasileiro

Laser
Onze títulos mundiais - 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013
*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt
Três medalhas olímpicas - ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

Star
Três títulos mundiais - 2007, 2011 e 2012*
*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe
Duas medalhas olímpicas - prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012



Expectativas




Volvo Ocean Race - Ganha quem estiver melhor

Regata teste da Volvo Ocean Race tem muita ação e vencedor improvável


Mais difícil do que o previsto, a Leg 0 - regata que não vale pontos - colocou à prova as sete equipes da Volta ao Mundo. Melhor para o Team Vestas Wind, time que entrou de última hora na aventura
A Volvo Ocean Race promete muitas emoções a partir de outubro. A Leg 0, regata teste para equipes e organização, mostrou que a Volta ao Mundo terá equilíbrio, drama e muita ação. A prova de 345 milhas deste fim de semana não valeu pontos, mas serviu para as sete equipes acertarem os últimos detalhes nessa reta final de preparação.
A vitória do percurso de Alicante - Palma de Maiorca - Alicante ficou para o Team Vestas Wind, barco dinamarquês, último a entrar na Volvo Ocean Race. A vantagem foi pequena, menos de 100 metros para o Team Brunel, da Holanda. Na sequência chegaram Abu Dhabi, Team Alvimedica, Team SCA, Dongfeng e Team España fechando a flotilha.
"Não foi apenas sorte. Velejamos bem e mostramos para nossa tripulação que podemos ser competitivos. A regra é ser fiel à estratégia e proceder bem nas manobras", disse Chris Nicholson, comandante do Team Vestas Wind.
O caso mais dramático da regata foi a queda do chinês Jin Hao Chen (Horace), tripulante do Dongfeng. "Poderia ter sido muito pior em condições de regata de verdade. Não é divertido alguém cair ao mar na escuridão. Vimos que ainda cometem muitos erros", contou Charles Caudrelier, comandante do Dongfeng. Apesar do susto ocorrido durante a velejada noturna, o atleta foi resgatado rapidamente.
As sete equipes vão agora fazer um balanço do que foi a Leg 0 e preparar suas tripulações para a Regata In-Port Race de Alicante, em 4 de outubro.








Ganhadores



A Regata



O China na água com vela e tudo



sexta-feira, setembro 12, 2014

Extreme Series Ao Vivo Istambul Act 6

 A Extreme Series chega a Turquia e Istambul é a cidade
escolhida para sediar o Ato 6, o último desse ano,
abaixo a colocação, ontem tivemos uma regata e sempre
a primeira não é disponibilizada ao vivo, por isso trazemos
em primeira, quer dizer em segunda mão a segunda regata
desse ato. Amanhã teremos a terceira e domingo a 
quarta.

1st The Wave, Muscat (OMA) 46 points.
2nd Emirates Team New Zealand (NZL) 46 points.
3rd SAP Extreme Sailing Team (DEN) 45 points.
4th Red Bull Sailing Team (AUT) 40 points.
5th Gazprom Team Russia (RUS) 38 points.
6th GAC Pindar (AUS) 37 points.
7th Oman Air (OMA) 30 points.
8th Alinghi (SUI) 28 points.
9th J.P. Morgan BAR (GBR) 24 points.
10th TeamTurx (TUR) 21 points.
11th Groupama sailing team (FRA) 20 points.
12th Realteam by Realstone (SUI) 19 points.


Começa as 9:30hs - Imperdível, previsão de 15 a 22 nós de vento



Aqui o que temos da primeira regata e inclusive quebra de mastro do Groupama

Southern Wind - Windfall - 94 pés e umas 800 pernas

A Southern Wind é um estaleiro que tem a sua origem
como muitos outros espalhados pelo mundo afora: um sonho,
um sonho que moveu Gugliemo Persico, Italiano de Nápoles
a construir barcos sensacionais, filho de um armador, sua
juventude foi passada em um estaleiro e depois de formado
tendo trabalho em várias empresas, dentre elas a Nautos
Swan, ele percebeu que em 1991 era o ano dele começar
a construção de barcos que sempre sonhou. 
Percebendo os barcos que ele constrói, essa cabecinha
sempre pensou grande e conseguiu atingir os seus objetivos
em um mercado que não permite amadores e novatos.
Aqui temos um exemplo do bom gosto que cerca os 
projetos da SSW, o Windfall é um daqueles barcos que
mesmo sendo gigantesco não tem exageros e você pode
perfeitamente correr uma regata com muito conforto e 
competitividade.

Aqui uma matéria que fizemos de um outro fantástico 
barcos produzido por eles, vejam que os malucões
que compram essas máquinas as colocam pra
"Jambrar" e não estão nem aí!

Se você gostou compartilha com os seus amigos e
inimigos, pois daqui a uns 3 meses eu vou ver o
mesmo vídeo postado no Face...tks..tks




Obrigado a Boat Show por mais esse ótimo vídeo

quinta-feira, setembro 11, 2014

Mais um vídeo para séria série - Ah...Esses Russos...

Um total de 64 carros estavam a bordo de navio de carga 
 Astongate que viajava de Toyama, no Japão, a Vladivostok, na 
Rússia. Após a tempestade que atingiu o navio, 52 deles 
acabaram no fundo do mar. Quem comprou os carros 
 assinou um documento autorizando a carga a ser 
transportada no convés do navio em seu próprio risco.
Quer dizer, misturar Russo a qualquer coisa sempre
terá os seus riscos..rs


Volvo Ocean Race - Leg Zero

Alicante, Espanha - Os sete barcos disputam uma prova de dois dias que não vale pontos. A regra é se adequar aos procedimentos de segurança e simular crises a bordo
As equipes da Volvo Ocean Race terão um desafio especial: a chamada Leg Zero - em português Perna Zero. O objetivo da regata, com duração de dois dias, será testar todos os protocolos de segurança. Um dos procedimentos será o famoso 'homem ao mar' para simular um acidente durante a prova. A regata sairá de Alicante até Palma de Maiorca. A largada será nesta sexta-feira (12) e terá 330 milhas de distância.
"A Leg Zero é vital para a organização e para as equipes", explicou o diretor de regata, Jack Lloyd. "A segurança é primordial para nós. Por isso queremos garantir que todas as equipes saibam exatamente o que fazer se as coisas derem errado, como por exemplo, se alguém cair no mar".
Talvez esse seja o maior medo dos velejadores. O chefe de controle da Volvo Ocean Race relatou os maiores dramas. "As correntes em algumas partes do mundo são de 7 metros por segundo. Além disso, a temperatura da água em lugares como o sul da Índia não excede 5 graus causando a morte por hipotermia em 12 minutos".
Os velejadores também aprovaram a iniciativa. "Será um teste muito importante para nós e uma oportunidade de melhorar e trabalhar em algumas coisas com apenas semanas antes do início da Volvo Ocean Race. A Leg Zero é uma prova real", falou o italiano Alberto Bolzan, do Team Alvimedica.
Os fãs da Volvo Ocean Race podem acompanhar a regata no nosso site. Clique aqui e acompanhe a posição dos barcos.


Nosso Favorito - Abu Dhabi

quarta-feira, setembro 10, 2014

Volvo Ocean Race - Enfim um Brasileiro

Tem brasileiro na Volvo Ocean Race! André Fonseca é escalado para time espanhol


Foi de última hora, mas o Brasil terá um atleta para a disputa da Volvo Ocean Race, maior regata de Volta ao Mundo do planeta. O representante verde-e-amarelo será André Fonseca, apelidado de Bochecha. O velejador catarinense de 36 anos será chefe de turno do Team España durante as provas. A Volvo Ocean Race começa em 4 de outubro, na cidade de Alicante, com a In-Port Race - chamada também de Regata do Porto.
André Fonseca está escalado para sua terceira Volta ao Mundo. Em 2005-06, o atleta correu no Brasil 1, primeiro e até agora único barco do país na regata. O time de Torben Grael ficou em terceiro lugar. Na edição seguinte, a de 2008-09, o velejador integrou o Delta Lloyd.
Recentemente, o atleta velejou no Phoenix, barco brasileiro da classe TP52. No currículo de André Fonseca estão as participações olímpicas em Atenas-2004 e Pequim-2008, ambas na classe 49er.

Tripulação do Team España para a Volvo Ocean Race 2014-15

Iker Martínez (ESP), comandante
Nicolas Lunven (FRA), navegador
Xabi Fernández (ESP), chefe de turno
Michel Desjoyeaux (FRA), chefe de turno
André Fonseca “Bochecha” (BRA), chefe de turno
Rafa Trujillo (ESP), regulador de vela
Anthony Marchand (FRA), regulador de vela e tripulante com menos de 30 anos
Antonio “Ñeti” Cuervas-Mons (ESP), proeiro
Carlos Hernández (ESP), regulador de vela e tripulante com menos de 30 anos
Sam Goodchild (ESP), regulador de vela e tripulante com menos de 30 anos
Francisco Vignale (ARG), repórter a bordo



Ele ainda não está na foto oficial



VPVN - Mylius 18E35 - Estilo se tem ou se compra!

O Mylius 18E35 é simplesmente aquele barco que
se tem vontade de ter 2, um para passear e outro para 
emprestar para os irmãos, ele é tão maravilhoso que 
você sente necessidade de dividir com quem você
considera e considera você. Ter um barco desse
é como ter a sensação de dever cumprido e a nítida
impressão de que outro barco igual a ele não vai
existir, essas palavras são minhas e não de algum
candidato a presidência ou até de comentarista de
futebol, elas são o retrato sincero de quem vê um 
número infinito de barcos aparecerem e não trazerem
nada de diferente, nada de inovador e andar junto
com o rebanho rumo a mesmice.


Route du Rhum - Os melhores no pior percurso

as expectativas sobre essa regata começaram com 
a lista de inscritos, os barcos são o que temos de melhor
no mundo das competições e com eles vieram a reboque
os melhores velejadores do planeta, lembrando que
a regata é em solitário e dá para ter uma ideia da
complexidade que envolve a preparação.
Na semana passada ficou confirmado que Armel
le Cléach não teria condições, por causa de um acidente
caseiro que machucou sua mão direita, de poder 
participar da regata, com isso quem vai cuidar do Maxi
Banque Populaire será nada mais nada menos que o 
Super Loick Peyron, ele mesmo, detentor do Troféu
Julio Verne, os barcos tem o mesmo nome, mas esse
BP é o antigo Groupama de Franck Cammas que ganhou
a edição a 4 anos atrás, com esse barco Loick vai
tentar ser páreo para outros monstros que formam a 
linha de largada dos Multi Maxis:

1- Maxi Solo Banque Populaire VII (Peyron Loick)
2- Sodebo Ultim’ (Coville Thomas)
3- Prince de Bretagne (Lemonchois Lionel)
4- Edmond de Rothschild (Josse Sébastien)
5- Spindrift 2 (Guichard Yann)
6- Musandam Oman Sail (Gavignet Sidney)
7- Idec Sport (Joyon Francis)
8- Paprec Recyclage (Elies Yann)

 Por essa lista da para ter um ideia de como essa regata
vai ser movimentada, só feras em barcos maravilhosos,
abaixo o vídeo de Loick assumindo a bagaça e também
o da história da competição com os recordes, muito legal.
Ah, e você sabe aonde vai ver AO VIVO a largada dessa
regata, sabe? NÃO !!!!!!!!!!!






A História

Le Rhum, cette course mythique ! por routedurhum

segunda-feira, setembro 08, 2014

TP52 - Aonde o profissionalismo é sinônimo de sucesso

Enquanto a próxima etapa da TP52 não começa
eles nos mostram um pouco de cada equipe participante,
hoje eles estão mostrando um vídeo do Team Ran, que
tem um dos barcos e equipes que se destacam no
campeonato. Aqui ele fizeram questão de apresentar um
pouco da galera que faz o apoio a equipe, isso prova
que em uma competição desse nível, sem assessoria
na logística fica impossível triunfar.


Veleiro Argentino Desaparecido - 13 dias e 13 noites e agora temos esperanças

O Site Tomnod com imagens de 4 satélites anima a equipe a encontrar a embarcação

Último contato dos quatro tripulantes do Tunante II foi há 13 dias; eles estavam em meio a uma tormenta e com problemas no veleiro


Imagens de satélite mostram embarcação que pode ser veleiro argentino desaparecido Reprodução/tomnod.com
Voluntários teriam realizado buscas em imagens de cinco satélites e encontrado ponto branco, parecido com veleiro Foto: Reprodução / tomnod.com


Imagens de satélite que teriam sido capturadas neste domingo mostram uma embarcação à deriva a leste da costa do litoral do Rio Grande do Sul. Conforme a imprensa argentina, os registros foram comparados e podem ser do veleiro Tunante II, desaparecido há 13 dias a cerca de 360 km de Rio Grande. A Marinha do Brasil e o Consulado da Argentina em Porto Alegre não confirmam a informação.

De acordo com a publicação online infobae.com, uma embarcação parecida com veleiro teria sido encontrada por voluntários da página Tomnod — site que permite explorar imagens de cinco satélites que estão em órbita sobre a Terra. No site do tomnod, foi criada uma campanha para que voluntários se concentrem nas buscas da embarcação por meio de tais registros. Até a manhã desta segunda-feira, mais de 30 mil pessoas já haviam se engajado na causa, informava o site.


Conforme o Comando do 5º Distrito Naval (Com5ºDN), voluntários enviam diariamente imagens de satélite com possíveis vestígios do veleiro. Os supostos registros são analisados e, se consistentes, são verificados "in loco" por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e embarcações que auxiliam nas buscas. Até a manhã desta segunda-feira, no entanto, não havia sinais da embarcação.

— Milhares de pessoas estão fazendo essas buscas por meio de imagens de satélite, mas até o momento não temos nada que possa levantar qualquer suspeita ou indicativo do local onde está o veleiro — afirmou a primeira-tenente Melina Brum Cezar Paim, assessora de comunicação do Com5ºDN.

De acordo com o último balanço divulgado pela Marinha, até a noite do último sábado aviões da FAB já haviam realizado 132 horas de voo sobre a área onde as buscas estão concentradas e cerca de 43,1 mil quilômetros quadrados já haviam sido rastreados.

O veleiro Tunante II tem quatro tripulantes: Jorge Benozzi, Mauro Capuccio, Horacio Morales e Alejandro Vernero. Os quatro amigos saíram de Buenos Aires e tinham como destino o Rio de Janeiro. A previsão era de que a viagem a passeio levasse 15 dias até o destino final.

O último contato dos tripulantes com familiares foi há 13 dias, quando fizeram contato por meio de celulares satelitais e avisaram que estavam em meio a uma tormenta, com problemas na embarcação. Familiares dos quatro tripulantes estão no Brasil desde a semana passada para acompanhar a procura pelo veleiro.

Volvo Ocean Race - Blind Times

A Musto patrocina o time Donfeng e eles fizeram
um vídeo bem humorado das condições que esses
velejadores passam, uma delas é a escuridão, 
velejar a noite muitas vezes você tem que contar
somente com o seu sexto sentido, se aproximar
das catracas, soltar cabos ou até mesmo fazer
peso, pode ser uma tarefa das mais difíceis.
Parabéns pela ideia!

sábado, setembro 06, 2014

Veleiro Argentino Desaparecido - Reportagem Zero Hora

"Ninguém perdeu as esperanças", diz filha de tripulante de veleiro desaparecido

Embarcação argentina está sumida há 10 dias e familiares estão no Rio Grande do Sul para acompanhar as buscas

Por Bruna Scirea

05/09/2014 | 17h28
"Ninguém perdeu as esperanças", diz filha de tripulante de veleiro desaparecido Mauro Vieira/Agencia RBS
Foto: Mauro Vieira / Agencia RBS
 
Há 10 dias o veleiro argentino Tunante II está desaparecido a 360 km do litoral gaúcho. Mas familiares dos tripulantes não perdem a esperança. Desde a última segunda-feira, dois deles estão no Rio Grande do Sul para acompanhar as buscas.

A produtora audiovisual Luana Morales, 30 anos, filha do tripulante Horácio Roberto Morales, e o médico cardiologista Tomás Vernero, 37 anos, filho do capitão da embarcação, Alejandro Vernero, conversaram com Zero Hora nesta sexta-feira:

— Ninguém perdeu as esperanças. Nem sequer as pessoas que estão trabalhando nas buscas. O pessoal da Força Aérea e a Marinha está esperançoso e nos transmite isso. Dizem que não existe plano de encerrar os trabalhos de busca e que o otimismo ainda existe. É por isso que estamos aqui — afirma Luana.

Além de Morales e Vernero, também estavam no veleiro o médico oftalmologista Jorge Benozzi e seu genro, Mauro Capuccio. Giovanna Benozzi, filha de Jorge e namorada de Mauro, chega a Porto Alegre nesta sexta-feira para acompanhar a procura. Os quatro tripulantes eram amigos e planejavam chegar ao Rio de Janeiro 15 dias após deixar Buenos Aires.

Conforme o Comando do 5º Distrito Naval (Com5ºDN), três aviões e duas embarcações auxiliam no rastreamento, mas ainda não há vestígios do veleiro.


Foto: Reprodução / Marinha do Brasil
Confira a entrevista completa com Luana Morales:

Zero Hora — Quando foi feito o último contato com eles?
Luana — Foi na terça-feira, 26 de agosto. Nós, filhos estávamos reunidos na casa do Tomas quando falamos com eles. A primeira ligação foi no início da tarde. Eles estavam em meio a uma tormenta. Disseram que estavam bem, com boas condições de saúde, mas tinham perdido o timão do barco, as velas e o motor. Também estavam sem bateria para o sistema de rádio. Eles tinham a bordo dois telefones via satélite, por meio dos quais se comunicavam com a gente. Durante doze horas, mantivemos comunicação direta com eles. Até as 23h50min, quando nos falamos pela última vez. Por volta das 2h da quarta, dia 27, houve uma última chamada, que foi só de ruídos, não conseguimos conversar. Às 4h, um barco entrou em contato com eles via radar e por visualização direta durante umas horas, até que o contato foi perdido. Desde então, não sabemos mais nada.

Eles sabiam da possibilidade de tormenta?
Não havia tormenta no dia em que partiram de Buenos Aires. Dias depois, tiveram que fazer uma pausa em La Paloma, no Uruguai, para um ajuste no barco. Eles nos ligavam via satélite para passar previsões meteorológicas. Então, quando eles estavam em La Paloma, passei a previsão de que haveria vento de sudoeste, mas o prognóstico não informava a intensidade da tormenta que depois tiveram de enfrentar. Não se esperava uma tormenta muito grande, por isso partiram dali em direção ao Rio de Janeiro.

Como estão as buscas?
Estamos em contato direto com a Força Aérea e a Marinha, a partir do Consulado da Argentina. Nesta quarta estivemos na base do 5º Distrito Naval, em Rio Grande. Lá nos mostraram todos os cálculos, procedimentos de busca realizados, alternativas de como a deriva pode ter acontecido. Também consideraram as correntes marítimas da zona e as diferentes direções que o veleiro pode ter tomado. Está sendo feito ainda um rastreamento aéreo, permanentemente, com aviões que se revezam.

E eles tinham mantimentos para quanto tempo?
Eles tinham planejado a viagem sem escalas, então tinham comida suficiente para 15 dias. Mas como era uma viagem de passeio, tinham abastecimento suficiente. Se racionalizassem comida e água, poderia chegar a até 60 dias. A alimentação não seria problema, nem falta de água. Tinham materiais de pescar também.


E vocês estão confiantes?
Ninguém perdeu as esperanças. Nem sequer as pessoas que estão trabalhando nas buscas. O pessoal da Força Aérea e a Marinha está esperançoso e nos transmite isso. Dizem que não existe plano de encerrar os trabalhos de busca e que o otimismo ainda existe. É por isso que estamos aqui. Segundo a Marinha, a área que já foi rastreada é grande, mas minúscula se comparada com toda a área de busca possível. Eles acreditam que muito provavelmente esse barco esteja boiando, que eles estejam dentro e que sejam encontrados logo.

Volvo Ocean Race - Nossos Olhos

Volvo Ocean Race: Série Life at the Extreme retrata dramas e aventuras nos barcos
A série Life at the Extreme promete ser emocionante! A organização da Volta ao Mundo quer passar ao público o verdadeiro espírito de uma vida a bordo, com todas as dificuldades e emoções sentidas pelos velejadores. O francês François Gandolfi terá a missão de contar essas histórias durante as 39 semanas da Volvo Ocean Race. 
Mais de 75 emissoras de todo o mundo já encomendaram o conteúdo semanal do Life at the Extreme, que vai começar na semana anterior a largada de Alicante para a Cidade do Cabo. 
"O François vai nos ajudar a alcançar novos públicos", disse Björn Alberts, diretor de comunicação e marketing da Volvo Ocean Race. "Temos uma das histórias mais dramáticas e humanas do planeta".
O cineasta François Gandolfi não tem experiência em vela. É verdade! Ele foi escolhido pelo sucesso que faz retratando documentários e dramas da vida real. No seu portfólio estão as películas Hairy Bikers, The Gadget Show, Embarrassing Bodies e A Place in the Sun. 
"Não sei absolutamente nada de vela", admitiu François Gandolfi. "Mas, eu sou fã de alguém que participa de uma regata de 40 mil milhas náuticas. Nunca fiz nada tão extremo".
A organização da Volvo Ocean Race também fechou com a Sunset+Vine para produzir as imagens oficiais.

Aqui o vídeo do teaser...S E N S A C I O N A L !!!

sexta-feira, setembro 05, 2014

Veleiro Argentino Desaparecido - África ou Fundo do Mar?

Marinha calcula que corrente levou veleiro à deriva para lado da África

Três aeronaves e dois navios de guerra fazem as buscas ao Tunante II.
Último contato com os tripulantes argentinos foi feito na quarta (27).



Foto de arquivo mostra veleiro que está a 180 milhas do Porto de Rio Grande (Foto: Divulgação/Marinha do Brasil)
(Foto: Divulgação/Marinha do Brasil)
Oito dias após o primeiro pedido de socorro feito por velejadores argentinos, equipes da Marinha continuam as buscas ao veleiro Tunante II, desaparecido a leste do Porto de Rio Grande, no Sul do Rio Grande do Sul. Até agora nenhum vestígio foi encontrado. A suspeita é de que o vento e a corrente estejam levando a embarcação para o lado da África.
As buscas não param. Três aeronaves e dois navios de guerra do Brasil e da Argentina seguem a procura em alto mar, a cerca de 800 quilômetros do município. Conforme a Marinha, coletes salva-vidas encontrados no sábado (30) não são dos quatro tripulantes argentinos. Além de muito deteriorados, os equipamentos tinham o nome de uma outra embarcação.
“Pelos nossos cálculos, de deriva e de vento, tudo leva a crer que vento e a corrente estão levando eles para o lado da África”, aponta o capitão Luís Felipe Rabello Freir, chefe do Estado-Maior.
De acordo com os militares, o veleiro é moderno e passou por uma revitalização antes da viagem. O bote da embarcação tem água e comida por até 15 dias e os velejadores tem experiência náutica. O último contato foi feito na quarta-feira (27), às 4h.
Imagens cedidas pela Marinha mostram o primeiro dia de buscas, quando as ondas chegavam a sete metros de altura e o vento a 90 km/h. A profundidade era de mais de 1,5 mil metros. O Tunante II saiu de Buenos Aires com destino a Búzios, no Rio de Janeiro.

Alguns segundos das condições
Veleiro Argentino Desaparecido from vento e som on Vimeo.

quinta-feira, setembro 04, 2014

Foto da Quinta - Lindo Por do Sol

"Capitão fique tranquilo, está tudo bem com o leme,
com o hélice, com a quilha, com a venenosa, com
os peiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiixessssssss....."


IC - The International Canoe

Nossa equipe sempre está a procura de algo que realmente
nos chame a atenção e com isso gere interesse também
em nossos leitores que dia a dia nos dão mais orgulho.
Quando nos deparamos com a Classe IC ficamos um pouco
intrigados com esse monotipo, pois nunca havíamos visto,
aqui no Brasil que eu saiba nunca vimos algum além de
nunca termos visto notícias. Ele parece uma canos sem
dúvida nenhuma, mas tem uma performance superior
a monoscascos do mesmo tamanho, isso ocorre por
causa da sua área velica, do casco ser muito
fino e o peso que chega ser a menor que muitos caiaques.
Enfim, ele é estranho, mas tem uma classe unida e que cresce
regata a regata.
Vejam abaixo as fotos dos "minino" e abaixo o vídeo de
um deles treinando. Espero que gostem!!








quarta-feira, setembro 03, 2014

Veleiro Argentino Desaparecido - As buscas começam a esfriar

Infelizmente a notícia não é das melhores, as buscam começam a chegar em 
seu Deadline e 2 embarcações simplesmente voltaram a suas bases e não 
fazem mais parte das buscas.

Resgate ainda envolve três aviões, uma fragata e uma corveta argentina
Duas das quatro embarcações envolvidas no resgate a um veleiro argentino desaparecido há uma semana, com quatro tripulantes, na Costa do litoral Sul gaúcho, foram liberadas a seguir viagem, confirmou hoje a Marinha. O Rebocador Tritão, de bandeira brasileira, retornou a Rio Grande e a corveta Rosales, da Armada argentina, seguiu para Itajaí (SC). Permanecem no local a fragada Rademacker, da Marinha, e a corveta argentina Gomez Roca, além de dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e de um terceiro, enviado pela Armada do país vizinho. Em Porto Alegre, o consulado da Argentina recebeu hoje pelo menos dois parentes dos tripulantes do Tunante II, que seguia de Buenos Aires para o Rio de Janeiro quando enfrentou uma tormenta e enviou pedido de socorro.

A Marinha só pretende detalhar, amanhã, as operações de busca. O órgão ainda não confirmou que destroços encontrados na sexta-feira em alto-mar, incluindo um mastro e outros objetos náuticos, pertencem ao veleiro procurado. O Serviço de Busca e Salvamento – Salvamar Sul -, do Comando do 5º Distrito Naval (Com5ºDN), trabalha em um raio de aproximadamente 680 km a partir da primeira posição indicada pelo veleiro quando pediu ajuda.

Ondas de até oito metros de altura comprometeram o início das operações de resgate, na semana passada. O Tunante II mede 12,5 metros de comprimento. Nele, seguem desaparecidos Jorge Benozzi, de 61 anos, o genro dele, Mauro Cappuccio, de 35, e os amigos Alejandro Vernero, de 61, e Horacio Morales, de 63. O primeiro é um oftalmologista de renome na Argentina, que desenvolvia um tratamento a gotas para a
presbiopia – problema conhecido popularmente como vista cansada.

O veleiro enviou o último sinal de comunicação às 22h de terça-feira. Na madrugada de quarta, a embarcação foi avistada pela última vez pelo navio norueguês. A família contatou os tripulantes por um celular via satélite, ainda na tarde de terça, e pediu socorro à Marinha brasileira. Conforme o relato de parentes, os quatro contaram ter enfrentado uma tempestade no caminho, mas conseguido estabilizar o barco. Antes de ficarem sem bateria, eles também disseram ter mantimentos no veleiro para cerca de 15 dias.


Buscas da Armada Argentina



Foto de quando passamos ali perto, 150 milhas de
Las Palomas! Fevereiro desse ano! Ventos de 28 nós!




terça-feira, setembro 02, 2014

Team Safran - Preparado para Route de Rhum

Talvez um dos barcos mais bonitos do mundo
são os IMOCA 60, esguio, regateiro, preparado
e sempre rápido. Esse é o Safran que em 2 de
Novembro larga na Route du Rhum, que tem a 
largada na França e o destino final em Guadalupe.
Foto de Alta Qualidade para você, amigo e amiga!

,

Até aonde a loucura de um homem pode chegar?


Um homem foi resgatado cinco milhas ao largo da costa de Dorset 
ao tentar navegar para a América em um bote de £ 300.
  Um Búlgaro de 30 anos comprou a embarcação de 14 pés no porto de
 Christchurch no sábado e em seguida partiu em sua viagem de 3.500
 milhas através do Atlântico.
Velejadores que passavam deram o alarme após avista-lo balançando
 em águas agitadas. Quando o RNLI (Royal National Lifeboat Institution)
recebeu o aviso, não conseguiu acreditar que alguém em
um 14 pés estivesse a quase 20 milhas da costa, por isso 
quando avistaram o barco, demoraram para entender o que
estava acontecendo. O Homem que estava sozinho no
barco recusava a assistência e não parava de dizer:
"Estou indo para o Oeste." Depois de recusar assistência
por 45 minutos a equipe arrastou-o para o seu barco e o
levaram para margem. Pete Dadds um dos socorristas disse
que o barco estava fazendo água e o homem teria morrido
se não fosse resgatado, ele não estava usando colete
salva-vidas, o barco não tinha luzes e seu único
instrumento de navegação era uma mapa de rua de
Southampton. Afora isso, ele tinha um passaporte
com visto americano, cachorro quente, feijão e um 
saco de biscoitos. Mesmo o homem apresentando
sinais de hipotermia, ele nem queria ir ao hospital, foi
obrigado e agora deve estar se preparando para outra
viagem...para Marte em velotrol!

Vejam o vídeo e compartilhem para que seu amigos nunca
façam isso!